Últimas Publicações

Obrigações do Dia

  • 23/Fevereiro/2020
  • ICMS/SCANC | Refinaria de Petróleo e suas bases, nas operações com combustível derivado de petróleo, nos casos de repasse (imposto retido por outros combustíveis).
saiba mais

Indicadores Econômicos

Moedas - 21/02/2020 16:08:41
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 4,392
  • 4,393
  • Paralelo
  • 4,330
  • 4,600
  • Turismo
  • 4,220
  • 4,570
  • Euro
  • 4,741
  • 4,744
  • Iene
  • 0,039
  • 0,039
  • Franco
  • 4,469
  • 4,472
  • Libra
  • 5,669
  • 5,673
  • Ouro
  • 228,110
  •  
Mensal - 03/12/2019
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • -0,05
  • 0,04
  • Ipc/Fipe
  • -
  • 0,16
  • Ipc/Fgv
  • -
  • -0,09
  • Igp-m/Fgv
  • -0,01
  • 0,68
  • Igp-di/Fgv
  • 0,50
  • 0,55
  • Selic
  • 0,46
  • 0,48
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -
saiba mais

IPCA para 2017 cai de 3,14% para 3,08%, prevê Focus

Brasília, 18 - Sob influência da ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, divulgada na semana passada, os economistas do mercado financeiro voltaram a reduzir suas projeções para o IPCA - o índice oficial de preços - para este e o próximo ano. O Relatório de Mercado Focus divulgado na manhã desta segunda-feira, 18, pelo BC, mostra que a mediana para o IPCA em 2017 foi de 3,14% para 3,08%. Há um mês, estava em 3,51%. A projeção para o índice de 2018 foi de 4,15% para 4,12%, ante 4,20% de quatro semanas atrás.

Na prática, as projeções de mercado agora divulgadas no Focus indicam que a expectativa é que a inflação fique abaixo do centro da meta, de 4,5%, em 2017 e 2018. A margem de tolerância para estes anos é de 1,5 ponto porcentual (inflação entre 3,0% e 6,0%). Portanto, a projeção para este ano está cada vez mais próxima do piso para cumprimento da meta.

No dia 6 de setembro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) havia informado que o IPCA subiu 0,19% em agosto. O resultado ficou abaixo do piso das estimativas do mercado (de 0,22% a 0,47%).

Já a ata do encontro do Copom, publicada no dia 12, reforçou a mensagem de que o BC pretende reduzir o atual ritmo de cortes da Selic (a taxa básica de juros). Após ter cortado os juros em 1 ponto porcentual no início do mês, de 9,25% para 8,25% ao ano, o BC indicou a intenção de, no fim de outubro, promover corte mais moderado. Já a projeção do Copom para o IPCA em 2017 já está em 3,3%.

Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2017 no Focus foi de 3,15% para 2,84%. Portanto, estas casas já preveem que o BC não cumprirá a meta, já que a inflação ficará abaixo do piso de 3%. Para 2018, a estimativa do Top 5 foi de 4,19% para 4,14%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de 3,38% e 4,00%, respectivamente.

Já a inflação suavizada para os próximos 12 meses foi de 4,14% para 4,07% de uma semana para outra - há um mês, estava em 4,43%.

Entre os índices mensais mais próximos, a estimativa para setembro de 2017 caiu de 0,26% para 0,23%. Um mês antes, estava em 0,32%. No caso de outubro, a previsão de inflação do Focus foi de 0,36% para 0,35%, ante 0,37% de quatro semanas atrás.

Preços administrados

O Relatório Focus indicou manutenção na projeção para os preços administrados neste ano. A mediana das previsões do mercado financeiro para o indicador em 2017 seguiu com alta de 6,43%. Para 2018, a mediana permaneceu em 4,70%. Há um mês, o mercado projetava aumento de 6,00% para os preços administrados em 2017 e elevação de 4,70% em 2018.

Na ata do último encontro do Copom, publicada na terça passada, o Banco Central projetava alta de 7,5% para os preços administrados em 2017 e avanço de 5,2% em 2018.

Outros índices

O Focus mostrou, ainda, que a mediana das projeções do IGP-DI de 2017 passou de -1,01% para -0,92% da última semana para esta. Há um mês, estava em -1,03%. Para 2018, a projeção seguiu em 4,50%, mesmo valor de quatro semanas atrás.

Calculados pela Fundação Getulio Vargas (FGV), os Índices Gerais de Preços (IGPs) são bastante afetados pelo desempenho do dólar e pelos produtos de atacado, em especial os agrícolas.

Outro índice, o IGP-M, que é referência para o reajuste dos contratos de aluguel, foi de -0,88% para -0,85% nas projeções dos analistas para 2017. Quatro levantamentos antes, estava em -0,72%. No caso de 2018, o índice passou de 4,43% para 4,41%, ante 4,44% de um mês atrás.

Já a mediana das previsões para o IPC-Fipe de 2017 seguiu em 2,53% para no Focus. Um mês antes, a mediana das projeções do mercado para o IPC era de 3,05%. Para 2018, a projeção do IPC-Fipe seguiu em 4,23%, ante 4,50% de um mês antes.

Fonte: em.com.br

Site desenvolvido pela TBrWeb
(XHTML / CSS)
MFM Contabilidade e Consultoria S/S LTDA
Av. Anita Garibaldi, 850 - sala 812 - Torre Premium - Bairro Cabral - Curitiba/PR
CEP: 80540-180  |  Fone / Fax (41) 3086 1412