Últimas Publicações

Obrigações do Dia

  • 28/Fevereiro/2020
  • IOF | Imposto sobre Operações Financeiras.
  • COFINS/PIS-PASEP | Retenção na Fonte – Autopeças.
  • IRPJ/CSL | Imposto de Renda Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro | Apuração mensal.
  • IRPJ/CSL | Imposto de Renda Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro | Apuração trimestral.
  • IRPJ | Imposto de Renda Pessoa Jurídica | Renda variável.
  • IRPJ/Simples Nacional | Ganho de Capital na alienação de Ativos.
  • IRPF | Imposto de Renda Pessoa Física.
  • REFIS/PAES | Programa de Recuperação Fiscal.
  • REFIS | Programa de Recuperação Fiscal.
  • Previdência Social (INSS) | Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro | Profut | Parcelamento de débitos junto à RFB e à PGFN.
  • Previdência Social (INSS) | Programa de Recuperação Previdenciária dos Empregadores Domésticos - Redom (Parcelamento de débitos em nome do empregado e do empregador domésticos junto à PGFN e à RFB).
  • DOI | Declaração de Operações Imobiliárias.
  • DME | Declaração de Operações Liquidadas com Moeda em Espécie.
  • Contribuição Sindical - Autonomos e Profissionais Liberais.
  • Operações com criptoativos
  • Informe de Rendimentos Financeiros - PJ.
  • Comprovante de Rendimentos - Pessoas Físicas.
  • Comprovante Anual de Retenção do IRPJ/CSL/Cofins/PIS-Pasep.
  • Comprovante Anual de Retenção da CSL/ Cofins/PIS-Pasep.
  • IPI (DIF-Papel Imune).
  • Decred.
  • Dirf.
  • Dimob
  • e-Financeira.
saiba mais

Indicadores Econômicos

Moedas - 27/02/2020 17:14:05
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 4,474
  • 4,476
  • Paralelo
  • 4,380
  • 4,650
  • Turismo
  • 4,290
  • 4,650
  • Euro
  • 4,899
  • 4,901
  • Iene
  • 0,041
  • 0,041
  • Franco
  • 4,608
  • 4,612
  • Libra
  • 5,767
  • 5,772
  • Ouro
  • 232,000
  •  
Mensal - 03/12/2019
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • -0,05
  • 0,04
  • Ipc/Fipe
  • -
  • 0,16
  • Ipc/Fgv
  • -
  • -0,09
  • Igp-m/Fgv
  • -0,01
  • 0,68
  • Igp-di/Fgv
  • 0,50
  • 0,55
  • Selic
  • 0,46
  • 0,48
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -
saiba mais

Facebook falha no controle do uso de dados dos usuários mais uma vez

O Facebook falhou em monitorar adequadamente os fabricantes de dispositivos, aos quais havia garantido acesso aos dados pessoais de milhões de usuários da plataforma. As informações foram reveladas pelo The New York Times, que cita detalhes de uma carta enviada por representantes da rede social ao Congresso dos Estados Unidos, em outubro.

A falha na supervisão foi identificada em 2013, mas nunca foi revelada aos usuários do Facebook, a maioria dos quais não havia dado permissão à empresa para compartilhar suas informações com terceiros. Tudo isso consta em uma carta enviada pelo Facebook ao senador democrata Ron Wyden, frequente crítico da plataforma.

A carta referia-se aos acordos que o Facebook tinha em vigor para fornecer a vários fabricantes de dispositivos acesso especial a uma grande quantidade de dados sobre os seus usuários, informou o jornal. Os acordos, alguns dos quais realizados em 2010, foram feitos com empresas como Huwaei, Lenovo, Oppo e TCL.

Segundo o Facebook, os acordos de compartilhamento de dados eram usados para melhorar a experiência de uso da rede social em dispositivos móveis, algo que chamou de "prática padrão da indústria".

Desde o escândalo envolvendo a consultoria Cambridge Analytica, o Facebook está sob a supervisão contínua de órgãos regulatórios. Tanto que este ano, o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, depôs no Congresso dos EUA e no Parlamento Europeu para responder a perguntas sobre o uso e gerenciamento de dados de usuários.

A empresa também sofreu uma série de críticas durante o processo eleitoral no Brasil. Muitas destas críticas ocorreram porque não conteve o abuso de terceiros, tanto no Facebook quanto no WhatsApp.

Os acordos de compartilhamento de dados do Facebook estão agora sob a alçada de um decreto de consentimento, emitido pela Comissão Federal do Comércio dos Estados Unidos (FTC), com o objetivo de monitorar como o Facebook rastreava e compartilhava dados sobre seus usuários.

Este decreto é de 2011, e surgiu de uma reclamação da FTC, que acusou o Facebook de quebrar sua promessa de manter os dados de seus usuários privados. Na época, a empresa garantia aos usuários que os aplicativos de terceiros só tinham acesso aos dados necessários para que eles funcionassem. Mas, na verdade, os aplicativos tinham acesso a quase todas as informações pessoais dos usuários.

Vale lembrar que, em junho deste ano, as autoridades dos EUA manifestaram preocupação com o Facebook, que garantiu acesso especial a dados de usuários à gigante chinesa de telecomunicações Huawei. A Huawei é a segunda maior fabricante de smartphones do mundo, mas tem encontrado dificuldades para entrar nos EUA, em parte por causa das preocupações de segurança do governo.

Fonte: Olhar Digital | 13/11/2018

Site desenvolvido pela TBrWeb
(XHTML / CSS)
MFM Contabilidade e Consultoria S/S LTDA
Av. Anita Garibaldi, 850 - sala 812 - Torre Premium - Bairro Cabral - Curitiba/PR
CEP: 80540-180  |  Fone / Fax (41) 3086 1412