Últimas Publicações

Obrigações do Dia

  • 23/Fevereiro/2020
  • ICMS/SCANC | Refinaria de Petróleo e suas bases, nas operações com combustível derivado de petróleo, nos casos de repasse (imposto retido por outros combustíveis).
saiba mais

Indicadores Econômicos

Moedas - 21/02/2020 16:08:41
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 4,392
  • 4,393
  • Paralelo
  • 4,330
  • 4,600
  • Turismo
  • 4,220
  • 4,570
  • Euro
  • 4,741
  • 4,744
  • Iene
  • 0,039
  • 0,039
  • Franco
  • 4,469
  • 4,472
  • Libra
  • 5,669
  • 5,673
  • Ouro
  • 228,110
  •  
Mensal - 03/12/2019
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • -0,05
  • 0,04
  • Ipc/Fipe
  • -
  • 0,16
  • Ipc/Fgv
  • -
  • -0,09
  • Igp-m/Fgv
  • -0,01
  • 0,68
  • Igp-di/Fgv
  • 0,50
  • 0,55
  • Selic
  • 0,46
  • 0,48
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -
saiba mais

Quem está isento de passar pelo novo Pente-fino do INSS?

Desde 1995, o segurado em gozo de auxílio-doença, aposentadoria por invalidez e o pensionista inválido estão obrigados a submeter-se a exame médico a cargo da Previdência Social.

Incapacidade laboral

O requisito da incapacidade laboral está presente no auxílio-doença, aposentadoria por invalidez e pensionista inválido, sendo que o segurado ou dependente deve comprovar que não consegue exercer uma atividade profissional de forma parcial ou total e por um tempo determinado ou indeterminado.
Alta programada

Desde 2016 estava previsto na legislação a alta programada, vejamos a previsão da alta programada:

Sempre que possível, o ato de concessão ou de reativação de auxílio-doença, judicial ou administrativo, deverá fixar o prazo estimado para a duração do benefício.

Na ausência de fixação do prazo de que trata o § 8º, o benefício cessará após o prazo de cento e vinte dias, contado da data de concessão ou de reativação, exceto se o segurado requerer a sua prorrogação junto ao INSS, na forma do regulamento, observado o disposto no art. 62.

Portanto, o Governo conseguiu legitimar a alta programada administrativa que existia antes de 2016, apesar de que no caso da alta programada prevista na Lei é necessário a perícia médica para avaliação da (in) capacidade laboral.

Bem como está previsto que até na concessão judicial, o segurado pode ser convocado para avaliação administrativa:

§ 10. O segurado em gozo de auxílio-doença, concedido judicial ou administrativamente, poderá ser convocado a qualquer momento para avaliação das condições que ensejaram sua concessão ou manutenção, observado o disposto no art. 101 desta Lei.

E sempre que o benefício for cessado, o segurado deve buscar efetivar seu direito à recuperação da capacidade laboral, seja por meio de um recurso administrativo ou ação judicial, sendo indevido o cancelamento do benefício antes da decisão final no processo administrativo.
Isenções Legais

Em outros artigos e vídeos, escrevi sobre a isenção previdenciária para fins de perícia médica, atualmente é previsto três hipóteses que garantem ao segurado a desnecessidade de comprovar que está incapaz para sua atividade habitual:

    A pessoa, aposentada por invalidez, com HIV/aids.
    Após completarem cinquenta e cinco anos ou mais de idade e quando decorridos quinze anos da data da concessão da aposentadoria por invalidez ou do auxílio-doença que a precedeu; ou
    Após completarem sessenta anos de idade.

Lembrando que esta isenção é referente ao benefício previdenciário para o segurado incapaz conhecido por aposentadoria por invalidez e para o benefício para o dependente conhecido por pensão por morte.
Conclusão

Este artigo trouxe soluções para os segurados que recebem o auxílio-doença e que tenham o benefício cessado: se interpor o recurso, só pode ser cessado após decisão final administrativa, conforme a ação civil pública sobre o tema.

E para o aposentado por invalidez está garantido três hipóteses de isenções em decorrência de idade, tempo de benefício ou por causa da natureza da doença e por ser estigmatizante.

Dica extra: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social.

Fonte: JornalContabil | 28/06/2019

Site desenvolvido pela TBrWeb
(XHTML / CSS)
MFM Contabilidade e Consultoria S/S LTDA
Av. Anita Garibaldi, 850 - sala 812 - Torre Premium - Bairro Cabral - Curitiba/PR
CEP: 80540-180  |  Fone / Fax (41) 3086 1412