Últimas Publicações

Obrigações do Dia

  • 20/Fevereiro/2020
  • IRRF | Imposto de Renda Retido na Fonte.
  • Cofins/CSL/PIS-Pasep | Retenção na Fonte.
  • COFINS/PIS-Pasep | Entidades financeiras.
  • INSS | Previdência Social.
  • EFD - Contribuintes do IPI | Distrito Federal.
  • IRPJ/CSL/PIS/COFINS | Incorporações imobiliárias | Regime Especial de Tributação – PMCMV.
  • IRPJ/CSL/PIS/COFINS | Incorporações imobiliárias | Regime Especial de Tributação - RET.
  • Simples Nacional.
saiba mais

Indicadores Econômicos

Moedas - 17/02/2020 17:45:40
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 4,328
  • 4,329
  • Paralelo
  • 4,270
  • 4,540
  • Turismo
  • 4,130
  • 4,470
  • Euro
  • 4,662
  • 4,662
  • Iene
  • 0,039
  • 0,039
  • Franco
  • 4,377
  • 4,378
  • Libra
  • 5,597
  • 5,599
  • Ouro
  • 219,410
  •  
Mensal - 03/12/2019
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • -0,05
  • 0,04
  • Ipc/Fipe
  • -
  • 0,16
  • Ipc/Fgv
  • -
  • -0,09
  • Igp-m/Fgv
  • -0,01
  • 0,68
  • Igp-di/Fgv
  • 0,50
  • 0,55
  • Selic
  • 0,46
  • 0,48
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -
saiba mais

Aprenda a calcular o valor da sua aposentadoria com as novas regras da Reforma

Muitos segurados ainda estão tentando digerir as novas regras de transição trazidas pela Emenda Constitucional 103/19.

No entanto, como se sabe, as alterações não param por aí!

A Reforma da Previdência também trouxe modificações na forma de calcular a aposentadoria. Vamos entender?

Olhando para as “regras de transição”, podemos visualizar a existência de 3 fórmulas de cálculo:

1. Prevista no “caput” e § 2º do artigo 26 da E.C. 103/19, aplicável às seguintes regras de transição:
– De pontos

– Tempo de Contribuição + Idade progressiva

– Aposentadoria por Idade

Como calcular?

– Apura-se a média aritmética simples de todos os salários de contribuição a partir de julho/94

– Sobre a média aritmética simples encontrada, aplica-se o coeficiente de 60% + 2 % para cada ano de contribuição que ultrapassar os 20 anos de contribuição para o homem e 15 anos de contribuição para mulher.

Um exemplo prático sempre ajuda no entendimento:

Astolfo tem 37 anos de contribuição e apurou-se que a média de seus salários de contribuição é de R$2.000,00. Qual será o valor de sua aposentadoria?

37 anos de contribuição = 17 anos além dos 20 anos de contribuição.

Logo: 60% (coeficiente mínimo) + 34% (2% x 17 anos) = 94%

Portanto, Astolfo receberá uma aposentadoria no valor de R$1.880,00 (94% x R$2.000,00).

Reflexão: Seguindo o raciocínio desta fórmula de cálculo, o segurado somente poderá atingir o coeficiente de 100%, se acumular 40 anos de contribuição.

2. Prevista no § 3º do artigo 26 da E.C. 103/19, aplicável à seguinte regra de transição:
– Pedágio de 100%

Como calcular?

– Apura-se a média aritmética simples de todos os salários de contribuição a partir de julho/94

– Neste caso, sobre a média aritmética auferida, sempre aplica-se o coeficiente de 100%

3. Prevista no §único do artigo 17 da E.C. 103/19, aplicável à seguinte regra de transição:
– Pedágio de 50%

Como calcular?

– Apura-se a média aritmética simples de todos os salários de contribuição a partir de julho/94

– Sobre a média salarial encontrada aplica-se o FATOR PREVIDENCIÁRIO.

Se confrontarmos as novidades trazidas pelas regras de transição e as fórmulas de cálculos aplicáveis a cada uma delas, reforça-se a atenção para a extrema importância do segurado buscar

Conteúdo original por Rafael Rossignolli De Lamano Direito do Trabalho/Previdenciário | 05/02/2020.

Site desenvolvido pela TBrWeb
(XHTML / CSS)
MFM Contabilidade e Consultoria S/S LTDA
Av. Anita Garibaldi, 850 - sala 812 - Torre Premium - Bairro Cabral - Curitiba/PR
CEP: 80540-180  |  Fone / Fax (41) 3086 1412